A religião te afeta de alguma forma? Como você lida com a religião?

5/5 - (15 votes)

Em nosso post de hoje iremos discutir sobre uma questão crucial a todos os seres humanos, a religião. Você já parou para pensar sobre como a religião afeta a sua vida? É sobre isso que iremos refletir ao longo desta conversa.

Nesse sentido, ao longo da discussão, iremos apresentar alguns mecanismos que permitirão que você saiba como lidar com a religião.

Podemos iniciar esta conversa lançando a seguinte situação: até poucos anos atrás, o Conselho Regional de Psicologia entendia que as questões que atingiam o campo da religião não deveriam ser debatidas durante as sessões.

Contudo, diversos estudos têm identificado que a religião é inerente à formação do ser humano, logo, não pode ser ignorada. A religião faz parte do processo de construção do pensamento e da cognição do ser humano. É algo que afeta o processo de formação da mentalidade de um indivíduo e é um assunto que deve ser repensado.

Por que a religião é um assunto que deve ser repensado?

A fim de que essa questão seja tratada com a devida seriedade, o debate sobre ele tem que ser constante. Precisamos pensar, estudar e discutir sobre a religião e os seus efeitos na vida humana.

Entretanto, essa é uma pauta bastante polêmica, visto que nem todos querem que esta questão seja debatida. O nosso intuito é o de ajudar você que está enfrentando algum tipo de problema inerente ao campo religioso de uma forma simples.

Além disso, também é nosso papel chamar a atenção para o fato de que grande parte da sociedade vivencia um problema desse tipo, onde, muitas instituições têm evitado esse tipo de assunto, uma vez que ele gera críticas e polêmicas, porém, não falar sobre isso pode potencializar os problemas que afetam essas pessoas.

Também é natural que as pessoas que se debruçam na ciência acabem tendo algum tipo de frustração desse tipo.

Essas lacunas deixam os indivíduos com certos conflitos mentais.

Os problemas existenciais

Muitos dos problemas existenciais são gerados pelos conflitos impulsionados pelas frustrações mais diversas. Dessa forma, até que esses conflitos sejam organizados dentro de você mesmo, poderá ter uma certa dificuldade para lidar com essas situações.

Além disso, essa é uma questão que está ligada com a construção do conhecimento: a falta de debate sobre esses problemas impulsiona tais conflitos.

Dito isso, podemos iniciar essa discussão definindo o que é, de fato, a religião. Muitos acreditam que a religião está sempre ligada a uma instituição religiosa, mas não é o caso. Também acreditam que está ligada a um Deus ou a um dogma.

Nesse sentido, muitas pessoas do campo das Ciências da Religião (e não teólogos, porque algumas questões ideológicas fazem com que tenham um ponto de vista diferente sobre a religião) têm investigado esta questão com muito afinco, com o intuito de ajudar os indivíduos a refletirem sobre esses assuntos.

O papel do Cientista da Religião

O cientista da religião, diferentemente do teólogo, atua de uma forma diferente, porque não se envolve com a religião ao abordar sobre ela, uma vez que olha para esses fenômenos como uma terceira pessoa, isto é, de forma distante e neutra.

Uma pessoa pode ser teóloga e cientista da religião, porém, terá dois interesses muito distintos. A religião é definida pelos dois campos de formas diferentes. A Teologia a define como algo capaz de religar a Deus, tornando-o mais próximo.

Todavia, a Ciência da Religião (ou as Ciências) parte de um outro ponto de vista. Entende-se que muitas ordens podem ser classificadas como instituições.

O papel do Cientista da Religião

Nesse sentido, as pessoas que se reúnem em um espaço em virtude de alguma questão que as conecta já configuram uma instituição desse tipo, uma religião.

Assim sendo, as pessoas que têm preferência, por exemplo, por uma marca de carro, já dariam forma a um tipo específico de instituição, do ponto de vista dessa área.

A formação de uma instituição

As pessoas que se reúnem em prol de um mesmo interesse (uma marca de carro ou moto) ou que estão ligadas a um mesmo grupo (pessoas que debatem sobre uma temática muito específica, como meio ambiente), também dão forma a um tipo de instituição.

Isso, para os cientistas da religião, é considerado como um fenômeno religioso, pois a religião não é vista apenas como uma crença em Deus, pois a fé é depositada em várias coisas. Assim sendo, quando falamos sobre religião, um amplo espectro de compreensão pode ser visto.

A formação de uma instituiçãoTodavia, a maior parte das pessoas que pensam sobre a religião acabam associando a crença em Deus, o que é uma visão da Teologia. Nesse sentido, entende-se que o objetivo, desse ponto de vista, é o de religar as pessoas a um Deus.

Contudo, a depender da religião, pode ser que uma mesma pessoa creia em mais de um Deus. Entretanto, o que deve ficar claro é que há uma crença em um Deus.

O que significa a religião?

Diante do que foi exposto, podemos pensar um pouco sobre o que significa a religião. A primeira coisa que precisamos saber é que se tem a prática da religião a partir do momento que um grupo de pessoas se reúnem em prol de um mesmo objetivo.

Logo, nem sempre essas pessoas buscam o fortalecimento de sua espiritualidade ou estão conectadas ali pela crença em Deus.

O que significa a religião

Porém, criam regras que atribuem forma a uma moral e a uma ética seguida pelos membros desse grupo, o que não deixa de ser um fenômeno religioso.

Dessa forma, são essas regras que modulam o comportamento daquele que pratica tal religião, sendo essa conduta característica desse povo.

Na hipótese dessas pessoas se conectarem pelo apreço a uma marca, criam as condutas, normas, dogmas e leis a serem seguidos pelos membros do grupo. Por outro lado, muitas pessoas também fazem uso da religião para prestarem serviços de assistência social e suporte aos indivíduos mais carentes.

A finalidade de um grupo social

As pessoas que se reúnem neste grupo querem se sentir pertencentes a ele. O grupo também atua como uma forma de referência a uma moral e ética. Além disso, muitos querem experienciar o poder por meio desses grupos.

A religião também faz com que uma pessoa possa progredir e assumir cargos maiores em uma certa hierarquia. Os cargos variam a depender da religião seguida pelos membros desse grupo, porém, em todos os casos, há uma hierarquia, de modo que alguns conseguem ascender e, com isso, se munem de poderes específicos.

É nesse sentido que afirmamos que a religião, em certos casos, é uma forma de fazer com que as pessoas se sintam superiores a outras, isto é, que queiram dominar as outras que fazem parte desse grupo.

Contudo, como mencionamos, a finalidade nem sempre é essa, pois tais pessoas podem querer se apropriar dessa religião para prestarem assistência àqueles indivíduos que precisam.

Como a religião tem sido utilizada pelas pessoas?

Embora a religião deva ser utilizada para a prática do amor ao próximo, há, claro, as que utilizam dessa religião para oprimir os outros. Assim sendo, quando lançamos a questão: como você tem utilizado a religião? Queremos chamar a sua atenção para o fato de que é preciso que repensemos nossas ações.

Como a religião tem sido utilizada pelas pessoasCom isso, temos que mencionar que tudo na vida aponta para consequências negativas e positivas.

Nesse sentido, torna-se necessário que pensemos em como o ser humano tem se apropriado desse contexto religioso e como essas escolhas dão forma às suas ações diárias, que podem tanto pender para o respeito às necessidades do próximo quanto para o abuso de poder.

Aqui não estamos falando da espiritualidade, mas sim da religião como um fenômeno que conecta as pessoas que compartilham desta mesma crença, que não está ligada à crença em um Deus. Em outro momento, esclareceremos essas diferenças.

De que religião estamos falando aqui?

Estamos nos referindo a uma religião terrena, isto é, aquela que está ligada ao plano material e não espiritual. É uma questão que perpassa pelos mais diversos campos, como o biológico, histórico, cultural, psicológico, geográfico e muitos outros.

Eles atribuem forma a uma série de comportamentos que essa pessoa praticará ao exercer esta religião. Nesse sentido, a partir do momento em que há a união de pessoas, há a prática de uma religião. Diante disso, convidamos você a refletir sobre uma dada questão: você já teve ou ainda tem uma religião?

Como você se utilizou dessa religião ou ainda se utiliza desta em sua vida diária? Há pessoas que fazem uso da religião apenas para que sejam capazes de se religar a um Deus.

A religião é utilizada como uma forma de que esta pessoa se religue a algo muito maior que o plano terrestre pode oferecer. Contudo, esse não é o único uso possível, como temos visto nesta conversa.

A busca por sanar lacunas comportamentais

Muitas pessoas têm se apoiado na religião com o intuito de sanar algumas lacunas da vida. De modo que, é comum o fato de que esta prática faça com que, em muitas das vezes, a pessoa julgue e seja julgada.

A busca por sanar lacunas comportamentais

No entanto, é pertinente destacar que cada tipo de religião está ligado a um universo muito específico, em que cada uma delas possuem dogmas, crenças e valores também muito específicos.

Assim, são eles que atribuem forma ao comportamento diário dessa pessoa.

A religião, nesse sentido, é capaz de delimitar certas condutas de vida para as pessoas a ela ligadas e é nessa relação que aparecem as lacunas comportamentais.

Tanto o indivíduo que faz parte desse grupo religioso quanto os demais membros que integram esta coletividade são afetados de maneira direta ou indireta. Assim sendo, acreditamos que é de suma importância que reflitamos sobre como a religião adentra na vida de uma pessoa.

Como a religião adentra na vida de um ser humano?

A primeira coisa que deve ficar clara é que a religião é capaz de adentrar na vida de um ser humano de inúmeras formas. O caso mais comum está ligado àquelas pessoas que nascem em um lar no qual os pais são muito ligados a uma religião específica, de modo que ele passa a ser impulsionado durante toda a sua vida a praticar essa religião em questão.

Assim sendo, a religião, para essa pessoa, assim como os seus ritos, será vista como algo normal e que deve ser naturalizado em suas vidas diárias. Nesse sentido, o indivíduo que é criado sob as bases desta religião, todo o seu comportamento será modelado de acordo com essas bases.

Mesmo que essa pessoa cresça e passe a vivenciar alguns tipos de conflitos que os torna uma pessoa mais crítica, não conseguirá se desligar dessas bases da noite para o dia, pois fazem parte da sua criação. Mesmo que se afaste dessas crenças, elas farão parte da sua identidade.

As crenças dão forma à identidade de uma pessoa

Como mencionamos, mesmo que o indivíduo se afaste por algum motivo desta religião, as bases desta atribuirão forma à sua identidade. A sua personalidade será influenciada de maneira direta e indireta por todos esses aspectos típicos da religião seguida pelos seus pais e que foi transmitida para você.

Também deve ficar claro que algumas pessoas optam por uma religião para sanarem algum tipo de carência e lacuna deixada por alguma outra questão. São essas carências e lacunas que impulsionam uma pessoa a procurar por algum tipo de escape.

Há algo dentro de si em falta e que mobiliza a procura por algo com o qual se identifica melhor. Assim sendo, podem acabar encontrando algum tipo de lugar social que seja mais interessante, do seu ponto de vista.

Encontram, nessa jornada, pessoas que compartilham de uma mesma fé. Outras, como mencionamos, encontram, na religião, uma forma de exercerem o poder. Outras, por fim, buscam, por meio dessa religião, encontrarem o transcendente, pois querem o contato com aquilo que não pode ser enxergado, o Deus.

A religião se torna, então, um meio para que o indivíduo possa se encontrar ou para que consiga alcançar aquilo que busca em sua vida, de modo a auxiliar na criação de sua identidade como pessoa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui