Até que ponto as redes sociais têm afetado a sua vida? Como você tem usado as redes sociais em seu dia a dia?

5/5 - (1 vote)

Em nosso post de hoje iremos discutir sobre como as redes sociais têm impactado a vida das pessoas. Contudo, deve ficar claro que esse impacto nem sempre é positivo.

Ao longo desta conversa, convidamos você a refletir sobre até que ponto as redes sociais são positivas, pois como tudo em nossa vida, a depender da forma como a utilizamos, podem ser benéficas ou maléficas.

Sendo assim, para iniciarmos nossa conversa, podemos dizer que tais redes foram criadas para que houvesse o compartilhamento de informações e ideias. Além disso, fortaleceu a interação entre as pessoas, dando forma a um outro tipo de relação, a virtual.

Antes, a comunicação, de fato, não era tão fluida, pois era necessário ligar para as pessoas ou até mesmo mandar cartas. As ligações eram muito caras, logo, poucos tinham acesso.

A modificação da forma de se comunicar

Em virtude da falta da tecnologia disponível até o começo do século XXI, para muitas pessoas alguns processos eram muito dolorosos, como viajar para outro país e deixar os filhos, pois não possuíam recursos suficientes para manterem contato em longas distâncias. Nesse contexto, aquelas que iam para esses países para lá morarem também sofriam muito.

A modificação da forma de se comunicar

Além disso, a educação era muito diferente, uma vez que os recursos didáticos disponíveis eram poucos, de modo que aulas gravadas no Youtube, por exemplo, eram raras.

Os poucos materiais que circulavam na internet eram muito caros, logo, ficava restrito a um público muito específico.

No entanto, com a criação das redes sociais esse cenário foi modificado, pois se expandiram as possibilidades de acesso e comunicação para as mais diversas pessoas. Em virtude do notável avanço tecnológico, houve uma modificação significativa na forma de comunicação, seja em rede, seja fora dela.

A comunicação, hoje, é muito rápida e instantânea, logo, pode ser bastante efetiva, desde que você saiba como se comunicar e lidar com essa fluidez em seu dia a dia.

É preciso classificar as redes sociais como positivas ou negativas?

A grande questão desta reflexão não é classificar as redes sociais como positivas ou negativas. É inegável que elas são positivas, mas, a depender de como você ou as pessoas ao seu redor as utilizam, os resultados bons também podem ser maléficos.

Nesse sentido, uma ferramenta que pode ser enriquecedora, caso mal utilizada, pode produzir o efeito contrário. Como exemplo de efeitos negativos, pode-se citar o tempo excessivo que uma pessoa passa navegando em tais redes enquanto as suas relações são estremecidas fora do meio virtual.

A fim de que possamos refletir sobre a ação das redes sociais em nossas vidas, é preciso que pensemos sobre o nosso cotidiano. Reflita: de que forma tem usado essas redes? Quanto tempo do seu dia costuma gastar nelas?

Para o que elas são utilizadas? Embora muitas pessoas façam uso de tais redes para trabalharem ou estudarem e se auto desenvolverem, não são raros o caso de pessoas que acabam não sendo beneficiadas com tal uso, porque se perdem em meio a esse emaranhado de informações. Logo, é importante se atentar para isso.

Redes sociais versus realidade paralela

Sabendo que muitas pessoas têm acesso a redes sociais, você já parou para refletir que a maior parte das pessoas que postam fotos nas redes estão sempre belas e bem arrumadas? Felizes? Bom, infelizmente, sabemos que nem sempre isso é real.

Redes sociais versus realidade paralela

O mesmo vale para aquelas famílias que postam fotos sorrindo, mas, fora das redes, estavam brigando minutos antes da foto.

Nesse sentido, torna-se essencial analisarmos uma sociedade que tem cada vez mais vivido com base na aparência, de modo que aparentam serem certas pessoas, enquanto, na verdade, na vida real, o comportamento é outro.

Essa tem sido uma preocupação de muitos de nossos cientistas, visto que a sociedade das aparências tem feito com que uma série de pessoas desenvolvam uma série de transtornos mentais. Isso acontece porque fingem que vivem em um mundo “ideal e perfeito” nas redes sociais, mas ele é fictício.

A projeção de um mundo irreal

Um dos efeitos negativos provocados pelas redes sociais é o fato de que a pessoa passa a viver nesse mundo imaginário, contudo, como ele não existe, acaba se frustrando, pois, todas as suas relações são frágeis e inexistentes fora dessas redes.

Nesse sentido, muitos indivíduos passam a viver uma “vida fake”, postando, em tais redes, imagens e vídeos de uma vida que só existe ali, no mundo virtual. Assim sendo, as redes sociais são usadas tão somente para suprirem alguma frustração do mundo real.

A projeção de um mundo irreal

No entanto, posto esse cenário, é fundamental que reflitamos sobre algo crucial: as redes sociais têm tomado conta de sua vida?

Você consegue viver uma vida para além dessas redes? Pensemos no seguinte: ao chegar em casa, você se preocupa com exercícios físicos, com a sua higiene, com a alimentação e com a interação com as pessoas com as quais mora?

O distanciamento entre as pessoas

As pessoas que perdem muito tempo navegando nas redes sociais provavelmente responderiam não para todas as perguntas anteriores. São indivíduos que ao chegarem em casa, por exemplo, costumam se sentar no sofá e ficarem ali por horas e horas divagando em suas redes.

Assim sendo, trabalhos que precisavam ser entregues não o são, atividades urgentes não são feitas e o filho que precisava de atenção fica desamparado. Posto isso, é importante que se tenha em mente que todos aqueles que moram com você são afetados com esse comportamento.

O distanciamento entre as pessoas

Assim, é essencial que você reflita se essas redes têm tomado todo o seu tempo e atenção. O principal desafio é evitar esse domínio por completo.

Com isso, percebemos que nem tudo deve ser classificado como positivo ou negativo, pois é relativo para cada pessoa. Tem havido uma polarização do conhecimento que tem afetado todas as áreas da vida social.

A polarização do conhecimento

A polarização é negativa porque as pessoas deixam de ver os dois lados da moeda. Dessa forma, não podemos negar que há sempre aqueles que idolatram e aqueles que condenam por completo qualquer assunto. No entanto, o equilíbrio é o mais ideal, pois essas ferramentas muito têm a nos ajudar.

Fazem com que nós, seres humanos, melhoremos, assim como a própria sociedade. A partir das redes, é possível que assuntos que promovem a cidadania e a qualidade de vida sejam debatidos com seriedade. Entretanto, muitos usam essas redes para o mal.

Com isso, podemos pensar que o problema não está nas tecnologias criadas, porque, de fato, elas nos auxiliam de inúmeras formas. O problema está no ser humano que utiliza tais tecnologias para o mal, permitindo que essas dominem toda a sua vida.

O problema está no usuário que faz uso dessas máquinas e recursos, visto que nem sempre está pensando no que é melhor para si e para o próximo.

O ser humano ao longo da história

O mau uso de tecnologias disponíveis é algo que afeta o ser humano desde a história da humanidade, uma vez que ele sempre se perde no meio de tais tecnologias e sucumbe em si mesmo.

Ao longo de toda a história, foram criados uma série de recursos que poderiam fazer com que a sociedade evoluísse muito mais rápido, contudo, o processo foi retardado porque o ser humano não soube aproveitar os benefícios de tais tecnologias em virtude do ego.

Como queriam reconhecimento e não ajudar a sociedade, estes recursos foram seriamente afetados. A ganância e a busca pelo poder são algumas das consequências que impulsionaram as grandes guerras.

Muitos usaram essas ferramentas apenas para que beneficiassem a si mesmos, não visando o bem-estar do próximo. Essa prática é milenar. A própria Bíblia já nos alertava acerca dos problemas do ego, da ganância e do poder. As disputas fizeram com que uns passassem a boicotar os outros.

As tecnologias impulsionam as disputas pelo poder?

Com certeza. Essa é, novamente, uma prática milenar. Na Bíblia, conta-se a história de Abraão, que criava meios para que os resultados de sua agricultura fossem positivos, porém, os outros povos criavam outros meios para prejudicarem a agricultura de Abraão.

Nesse sentido, ao invés desses povos colaborarem entre si para que ambos vivessem em uma comunidade mais próspera, estavam preocupados em boicotar as tecnologias criadas por outras pessoas para que se beneficiassem com isso.

Percebemos, com isso, que as disputas pelo poder impedem que a sociedade conviva em harmonia, de modo que diversas tecnologias que poderiam ser positivas acabam fomentando o ódio, a perseguição e o boicote, não apenas na Bíblia, mas em todos os momentos da história, não sendo diferente na sociedade contemporânea. Diversos eventos que apontam para a história da humanidade ressaltam essas disputas por poder.

O problema está nas redes sociais?

Na verdade, o problema está nas pessoas por trás dessas redes sociais. Temos hoje ferramentas muito poderosas e dinâmicas, de modo que nossas atividades diárias podem ser executadas de uma forma muito mais assertiva e rápida, contudo, quando não são bem utilizadas, produz uma série de consequências negativas.

O problema está nas redes sociais

Pensemos um pouco no uso sem medida das redes sociais, é sábio dizer que ele afeta a nossa vida de maneira negativa diariamente. Nesse sentido, é essencial que reflitamos sobre o impacto dessas redes em nossa vida cotidiana.

Embora um dos argumentos defendidos por aqueles que idealizam as redes sociais seja a aproximação entre as pessoas, não é sempre que essa aproximação é real, pois, em muitos casos, as pessoas ficam mais distantes.

sobretudo aquelas que vivem em um mesmo espaço. Assim sendo, os laços em rede passam a ser fortalecidos, mas as relações pessoais, de carne e osso, ficam cada vez mais frágeis.

As relações nas redes sociais são verdadeiras?

Tudo depende, contudo, não são raros os casos de pessoas que vivem a partir dessas redes relacionamentos que não são verdadeiros e sólidos, mas sim superficiais e passageiros. É fato que alguns usuários dessas redes têm muitos “amigos”, bem como milhares de curtidas e mesmo comentários em suas fotos e vídeos.

Entretanto, na vida real, será que essa pessoa tem amigos? Será que as suas relações são verdadeiras? Quando vivenciamos algo ruim ou muito desafiador, não queremos ser confortados por máquinas, mas sim por um humano, alguém capaz de nos acolher e dizer palavras de carinho, o que nem sempre é possível por meio das redes.

Quando passamos por esse tipo de situação, é nas pessoas com as quais convivemos que buscamos esse suporte e carinho. Contudo, é difícil cultivar o carinho e o amor por meio das redes, pois não podemos tocar essas pessoas e abraçá-las.

O mundo virtual é muito restrito.

Por que alguns sentimentos não podem ser cultuados por meio do virtual?

O virtual é composto por inteligência artificial, logo, certos tipos de sentimentos não podem ser cultuados por meio desses espaços, como as redes sociais, uma vez que apenas uma pessoa de carne e osso pode despertar tais vínculos.

Nas redes sociais, a cada dia, somos bombardeados com as mais diversas informações, logo, da mesma forma que a pessoa se torna mais uma em nossas vidas, nós também somos só mais uma pessoa.

É difícil construir um vínculo duradouro e sólido por meio apenas do virtual. Além disso, são poucas as pessoas que param para ler, de fato, nossos desabafos.

Também precisamos chamar a sua atenção para o fato de que muitas pessoas montam uma persona que só existe no mundo virtual. Fora das redes, portanto, essa mesma pessoa é muito diferente. Dessa forma, é preciso que você tenha amigos verdadeiros com os quais realmente possa contar sempre que precisar.

A fim de que você possa viver uma vida feliz, é preciso que as redes sociais e as demais tecnologias sejam apenas uma pequena parte de sua vida. Não deixe que elas dominem todo o seu dia e que tomem toda a sua atenção.

Há pessoas humanas ao seu lado que realmente se importam com você e com o que tem a dizer. Prefira uma boa conversa do que likes e respostas. Dê prioridade para aquilo que, de fato, é essencial para que se torne uma pessoa melhor e mais feliz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui