O que devemos pensar ao falarmos sobre Obesidade? Existe algum segredo para ser saudável quanto ao peso?

5/5 - (5 votes)

Em nosso post de hoje precisamos discutir sobre uma questão importante que, para muitas pessoas, ainda é um tabu. Mas é justamente a falta de reflexão a respeito desse assunto que faz com que muitos dos indivíduos que sofrem com isso não consigam superar esse problema. Essa questão é a obesidade.

Ao conversarmos com rabinos judeus, algumas questões nos chamaram muito a atenção e gostaríamos de compartilhar com você nessa conversa. A partir dessas reflexões, visualizamos que Deus nos coloca diante de algumas situações não para que sejamos punidos, mas para que possamos crescer e aprender com isso.

Além disso, tais conversas também nos ensinaram que, primeiramente, temos que curar as nossas mazelas para que possamos ajudar o próximo. Tudo recai no princípio elementar: amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a ti mesmo. Com isso, hoje iremos discutir sobre algo pelo qual lutamos e que nos motiva a estudar mais a cada dia.

A luta contra a obesidade

Esta é uma questão que nos afeta pessoalmente e é por isso que queremos chamar a sua atenção quanto a isso. Algumas pessoas nascem com o corpo obeso, logo, têm facilidade em ganharem peso. São sujeitos que ganham peso muito rápido e tem como principal desafio aprender a lidar com isso ao longo de toda a vida.

A luta contra a obesidade

Nesse contexto, como sabemos, o cálculo do IMC é o padrão internacional para avaliar o grau de sobrepeso e obesidade.

Ele é feito por meio da divisão do peso (em kg) pela altura ao quadrado (em metros). Todas as pessoas têm um IMC adequado para que possam viver com qualidade.

Nesse sentido, o desafio é o de buscar pelo equilíbrio. Essa é, na verdade, apenas uma pequena manifestação de como a nossa vida é afetada quando não procuramos por esse equilíbrio. Pensemos um pouco nos efeitos da obesidade.

A OBESIDADE É UM PROBLEMA QUE AFETA, PRINCIPALMENTE, A FORMA COMO NOS RELACIONAMOS COM NÓS MESMOS.

Os efeitos da obesidade

Além disso, o problema interfere na nossa relação com outras pessoas. Também não conseguimos exercer a nossa vida profissional com qualidade ou absorver uma dada questão quando não buscamos por esse equilíbrio, não em relação apenas à obesidade, mas a tudo na vida.

Assim sendo, podemos afirmar que conseguir trabalhar com o nosso peso, é uma forma, também, de buscar equilíbrio em outras esferas da vida. É como se cada coisa em nossa vida estivesse interligada com todas as outras.

Nesse sentido, os aspectos neuroquímicos e fisiológicos ligados à nossa relação com a alimentação devem ser tratados com muita atenção. Por outro lado, o nosso cérebro, ainda hoje, é muito primitivo. É por esse motivo que buscamos, na maioria das vezes, aqueles alimentos capazes de fornecer energia para o nosso corpo.

Os alimentos que produzem energia

Muitas pessoas buscam por aqueles alimentos que produzem ATP para as células, porém eles não são tão saudáveis, pois a sua composição é, basicamente, açúcar e carboidrato. Com isso, queremos apontar os aspectos que nos impulsionam a busca por tais alimentos. É como se eles produzissem uma espécie de conforto na alma.

Os alimentos que produzem energiaNesse sentido, como comprovou a nossa ciência, a partir do momento em que ingerimos esses alimentos, temos como intuito buscar mais energia para os nossos corpos.

As sensações são prazerosas, porque, de certa forma, as pessoas se sentem mais acolhidas. Sentem-se, também, mais satisfeitos e felizes.

Contudo, é nosso papel chamar a sua atenção para o fato de que essas sensações são momentâneas.

Com isso, convidamos você a refletir sobre o porquê de você querer se sentir mais acolhido e feliz por meio do consumo de alimentos. A satisfação é sempre momentânea.

O problema em depositar as expectativas na alimentação

Algo negativo em depositar todas as expectativas na alimentação é que passamos a ocultar algum tipo de comportamento que nos afeta, porém, não reconhecemos que estamos utilizando a alimentação como pretexto.

Suponhamos que você esteja num local de trabalho e queira agir de uma certa forma e falar certas coisas ou, ainda, digamos que você está ali porque está sendo obrigado, podendo assim passar a consumir esses alimentos para tentar amenizar a sensação negativa e agoniante. Ingere-se as comidas para que a sensação de frustração seja substituída por aquela que promove o acolhimento.

Entretanto, é de vital importância que fique claro nessa conversa que os pontos que elencamos aqui não são preconceitos, mas sim aspectos que você deve analisar para que possa viver a vida com mais qualidade. Cada corpo é bonito do seu jeito, mas a partir do momento em que a saúde é afetada, devemos repensar as nossas escolhas.

Trate a obesidade como um problema de saúde

Alguns afirmam que as pessoas que combatem a obesidade são preconceituosas, mas, na verdade, debater e refletir sobre isso é uma forma de promover a qualidade de vida. A pessoa que é obesa, ao longo da vida, sobretudo quando não trata o problema com a devida seriedade, vive com as suas células inflamadas.

Trate a obesidade como um problema de saúde

Alguns dos danos causados pelo sobrepeso podem ser irreversíveis. Uma consequência disso é que, a todo o momento, o corpo desse indivíduo estará em constante alerta.

Além disso, é preciso que entendamos que a obesidade é uma epidemia mundial, de modo que os casos diagnosticados vêm aumentando cada vez mais com o passar dos anos.

Desse modo, esse problema não é algo que pode ser menosprezado, pois afeta toda a qualidade de vida de muitos indivíduos.

Ela é tão ruim quanto as outras doenças crônicas e, na verdade, muitas das vezes, ela pode ser a responsável por desencadear várias dessas doenças. Posto isso, precisamos pensar um pouco na ação das células inflamadas.

A ação das células inflamadas no corpo

A partir do momento em que o nosso corpo vive em constante estado de alerta, isto é, quando as nossas células estão inflamadas, é como se esse corpo, a todo o momento, lutasse para sobreviver. Nesse processo de busca pela homeostase, o indivíduo acaba focando no corpo, mas se esquece das outras partes.

É assim que outras doenças, como diabetes, colesterol e hipertensão, são impulsionadas. Além disso, a própria estrutura óssea pode não ser capaz de suportar esse peso. O sobrepeso aumenta a pressão do corpo sobre as articulações, especialmente nos quadris, joelhos e tornozelos.

A ação das células inflamadas no corpo

O desgaste das articulações é algo comum e que ocorre naturalmente com a idade, entretanto, a obesidade pode fazer com que esse desgaste ocorra de forma mais acelerada e acentuada, podendo causar dores e impossibilitar a realização de simples atividades do dia-a-dia.

Quando alertamos sobre a obesidade, não estamos corroborante com alguma forma de preconceito, mas estamos refletindo sobre os efeitos disso na vida humana como um todo. Também não estamos promovendo aqui uma beleza e uma estética específica.

O nosso papel é de te ajudar a tratar esse problema com a devida seriedade. Estamos no campo da saúde e, dessa forma, a nossa luta é pela promoção da qualidade de vida em uma perspectiva ampla.

As características da obesidade

A obesidade é um problema grave porque se trata de uma doença multifatorial. Assim sendo, é uma doença que perpassa por uma ampla gama de fatores. Eles dizem respeito aos aspectos ambientais, culturais, fisiológicos, físicos, psíquicos e genéticos. É uma doença crônica.

Assim sendo, as doenças desse tipo são caracterizadas dessa forma porque são desenvolvidas de forma lenta, mas têm uma longa duração. Contudo, como doença crônica, a obesidade não é transmissível. Nesse sentido, quando uma pessoa afirma que é obesa, ela está se referindo ao seu estado crônico.

Doenças crônicas são para toda a vida, mas elas podem ficar sob controle. Os indivíduos com esse diagnóstico, caso não se policiem, podem engordar, em uma única semana, de cinco quilos para mais, o que pode prejudicar a sua qualidade de vida.

Os problemas de uma pessoa com obesidade

O principal desafio das pessoas que lidam com esse problema é fazer com que o corpo deixe de ficar em constante estado de alerta. Nesse sentido, cabe a nós fazermos um alerta. As pessoas que engordam um pouco já começam a sentir os efeitos desse ganho de peso em toda a sua vida.

Assim sendo, percebem que a sua qualidade de vida está esvaindo. Além disso, o ânimo dessas pessoas é muito diferente, visto que vivenciam sensações negativas, pois estão frustrados com o peso, mas nada fazem para reverter a situação, visto que o problema não é tratado com seriedade, mas sim banalizado.

Também devemos chamar a atenção para o fato de que essas pessoas sofrem para desempenhar atividades básicas, como vestir uma roupa ou calçar um sapato. São sujeitos que passam a ficar cada vez mais ansiosos e tristes, pois não conseguem falar sobre o problema e expressar os seus sentimentos quanto a situação.

A gravidade em banalizar a obesidade

Como muitas pessoas não tratam a obesidade com a devida seriedade, procuram por outros problemas que poderiam justificar essa tristeza e frustração constantes.

Não são raros os casos de pessoas que acreditam que por terem conhecimento intelectual suficiente e/ou por terem um bom emprego não precisam se adequar a um padrão estético para que sejam ouvidas e respeitadas.

A gravidade em banalizar a obesidade

As pessoas que têm essa mentalidade se recusam a acreditar que precisam buscar por um corpo saudável, não para fins estéticos, mas para melhorarem a sua qualidade de vida.

Contudo, depois de muita reflexão e aprendizado, percebemos que não se trata de adequar-se a um padrão imposto pela sociedade, mas sim de se preocupar com a qualidade da vida.

Pois, assim, pode-se, além de viver mais tempo, viver com qualidade. Quando discutimos sobre a vida saudável, é de vital importância que dispensemos nossa atenção para uma questão essencial.

A importância da saúde mental

Quando buscamos pelo corpo saudável, é de suma importância que nos atentemos a uma questão crucial: a saúde mental. Sem que haja um equilíbrio entre corpo e mente, não é possível que possamos viver essa vida com a devida qualidade.

Nesse sentido, convidamos você a refletir sobre os fatores que têm feito com que busque por algum tipo de recompensa na comida, isto é, o que tem feito com que busque pelos alimentos calóricos para suprir algum tipo de sentimento negativo.

Com isso, adentramos em um outro território, mas que está ligado a relação de uma pessoa obesa com a alimentação. Muitos especialistas se questionam sobre a forma como a pessoa obesa come, isto é, sobre o que as motiva a comer de forma desenfreada.

Podemos frisar que essas pessoas não reconhecem que comem muito e, além disso, têm um hábito: o de sempre precisarem mastigar alguma coisa ao longo de todo o dia.

A obesidade e a saúde mental

As pessoas que apresentam predisposição à obesidade querem mastigar a todo o momento, porém, elas não buscam pelos alimentos saudáveis, como é o caso dos legumes e verduras.

Alguns exemplos de alimentos que esses indivíduos buscam a todo o momento são os doces, como sorvetes, bolos, tortas e outros, bem como quaisquer alimentos danosos, como biscoitos, chocolates, bem como pratos de comida generosos.

É isso que faz com que essas pessoas se sintam saciadas. Faz com que se sintam acolhidas de alguma forma. A saúde mental nesse contexto desempenha um papel fundamental, pois, sem o reconhecimento de que esse problema precisa ser tratado, o sujeito passa a sofrer, pois se sentirá sempre ansioso e triste.

O desafio principal aqui é o de aprender a lidar com as sensações e emoções derivadas dessa relação. A obesidade é um problema multifatorial, logo, não pode ser generalizada.

Cada caso é um caso, entretanto, na maior parte das vezes, quando o indivíduo trabalha com a sua saúde mental, prezando pela sua qualidade, a obesidade é tratada com a devida seriedade, logo, ele consegue buscar por esse equilíbrio de uma forma muito mais efetiva.

Uma alternativa é a realização de uma cirurgia bariátrica, porém, só ela, não basta, pois o acompanhamento contínuo junto à equipe multidisciplinar composta por psicólogos e nutricionistas é essencial. O emagrecimento fisiológico é propiciado pela cirurgia, porém, é crucial que haja uma mudança de mentalidade para que o peso seja mantido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui